Comércio Local

A pandemia trouxe novos hábitos que vieram para ficar, entre eles a mudança no comportamento do consumidor.

Encontrar o produto perto de casa, é o que o consumidor deseja no mundo atual.

Se antes era comum as pessoas se dirigirem às grandes lojas físicas para comprar seus produtos, hoje em dia, elas desejam praticidade e conveniência, encontrando aquilo que precisa perto da sua residência.

Assim, o pequeno comerciante, ganha importância, já que o consumidor mudou os seus hábitos e agora opta por compras mais frequentes e nas proximidades do bairro.


Importância do Comércio Local para a Economia:

Ao investir em compras no comércio local estamos investindo na nossa economia, quer seja localmente a nível da nossa cidade, ou a nível do nosso país.

Mas como estamos a investir?

Ao investir em produtos ou serviços locais estamos permitindo o desenvolvimento desse setor, incentivando a economia local e criando mais postos de emprego.


No Comércio Local, o Cliente é especial:

Queres sentir-te especial?

Mais do que adquirir um produto ou serviço, queres ter uma experiência e atendimento agradável?

No comércio local, o cliente tem um atendimento totalmente personalizado.

É inevitável sentirmos a relação de proximidade que se estabelece entre o comerciante e o consumidor.


Como posso apoiar o Comércio Local?

Adquirir produtos ou serviços de um comerciante local mas esta não é a única forma de investir ou apoiar!

Existem formas GRATUITAS de apoiar o comércio local! COMO?

  • Compartilha a Loja dentro do Reserve 4me (todas lojas no Reserve 4me tem um ícone para compartilhamento) com um amigo teu que faça parte da área de interesse desse negócio local

  • Indique a loja aos teus amigos/conhecidos/familiares empreendedores, basta acessá-la pelo endereço: https://shop.reserve4me.com.br/

Segundo a pesquisa realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Estado de São Paulo (Sincovaga), com 100 varejistas de pequeno porte na cidade de São Paulo, revelou que 46% deles tiveram aumento de vendas com a pandemia, e 63% de crescimento das vendas à distância. É também neste cenário, que os pequenos comércios viram a necessidade de terem presença digital. Uma pesquisa realizada pela Opinion Box, em agosto de 2021, mostrou que metade dos brasileiros prefere comprar em lojas online a lojas físicas.


Além disso, o consumidor também está mudando seus hábitos e trazendo à tona um comportamento que chamamos de online-to-offline, no qual ele pesquisa online a mercadoria que deseja adquirir, compara preços entre os lojistas e conclui a compra na loja física mais próxima.

Assim, é imprescindível para o comércio local ter presença online, pois dessa forma o cliente já sai de casa sabendo que o produto que deseja está disponível no estoque do lugar que ele deseja ir.


Enquanto marcas e empresas buscam novos produtos e tecnologias, há uma parte da cadeia que ainda corre atrás do prejuízo e muitas vezes tem dificuldade de se manter atualizado para não ficar para trás: o pequeno comerciante. Leia-se aqui: o dono do mercadinho do seu bairro, da padaria, daquele bar tradicional com anos de fundação, o pequeno negócio familiar que passa de geração para geração.

De acordo com o Sebrae, há hoje mais de 17 milhões de pequenos negócios no Brasil e 70% deles passaram a utilizar os serviços da internet.

Em média, quatro em cada dez empresas inovaram durante a crise, e o setor da alimentação foi o que mais se destacou com os serviços de entregas, seguido de artesanato, academias e o segmento de moda.


Nos dias atuais as facilidades de compras em grandes marcas e indústrias não inegáveis, porém você já pensou no custo ecológico causado para transportar contêiner com aqueles produtos que você compra do exterior e que, poderia ter comprado no comércio do seu bairro?

O consumo de produtos industrializados por grandes marcas, disponíveis nas redes de mercado, além de possuírem custo de transporte marítimo ou rodoviário, possuem a necessidade de locais de armazenamento, embalagens que muitas vezes não são reutilizáveis ou recicladas e que na maior parte das vezes você não tem informações sobre forma de produção ou até mesmo procedência.

A consciência ecológica e sustentável, vai muito além de uma alimentação especial, ela precisa estar presente em todo seu processo de compra e descarte de produtos.

0 visualização0 comentário